Atividade física durante a gestação

Oi!

Logo que engravidei, me consultei com a minha ginecologista e obstetra. Contei à doutora que eu treinava regularmente, e a orientação dela foi suspender os treinos. Não treinei no primeiro trimestre da gestação, e quando voltei a treinar, fui assistida pelo Edu, no studio personal do Thiago Arias.
Gravidez não é doença, e desde que bem orientada de forma multidisciplinar (obstetra, educador físico e nutricionista), qualquer gestante que não tenha um quadro clínico comprometido, pode (e deve!) se exercitar.
Não sou uma atleta de rendimento, por isso treinei moderadamente, e todos os exercícios eram de baixa intensidade. Além de manter os músculos fortes, resistentes e flexíveis, os exercícios são bons também para relaxar e diminuir os desconfortos da gestação, além de facilitar a volta do corpo ao normal depois do nascimento do filhote.
Por causa das mudanças causadas pela gravidez, o centro de gravidade do meu corpo se alterou e eu cansava bem mais rápido. Por isso tomava muito cuidado, e acima de tudo, prestava atenção aos limites do meu corpo, ele avisaria se eu fosse longe demais e corresse riscos. Durante os treinos eu usava roupas adequadas e bebia bastante água antes, durante e depois dos exercícios para não desidratar.


A suplementação alimentar foi outra questão que me fez pensar bem. Antes mesmo de eu engravidar já havia conversado sobre isso com a Mariana Tornincasa, minha nutricionista, e sabia que não precisaria suspender o uso dos suplementos quando engravidasse. Quando engravidei, ela apenas fez algumas modificações na prescrição deles. No entanto, em um determinado momento da gestação, a obstetra disse que era melhor eu não tomar mais, e a Mariana me orientou a parar, porque se acontecesse alguma coisa quem iria me socorrer era a médica, por isso seguiríamos as normas dela. Lembrando que cada caso é um caso, eu tomei suplementos durante um período da gravidez, mas isso não quer dizer que todo mundo pode tomar, a gestante tem que ir no nutricionista dela e conversar a respeito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *